Síndome do Pânico exige tratamento eficaz



Cerca de 90% das pessoas que sofrem da Síndrome de Pânico acreditam que têm uma doença física.

Elas acabam indo em vários especialistas em busca de um diagnóstico que justifique os sintomas físicos como falta de ar, asfixia, taquicardia, palpitações, tremores musculares, transpiração excessiva, calafrios, tontura, formigamento, sensação de desmaio, enjoo e diarréia. Mas a Síndrome do Pânico é, na verdade, um transtorno psiquiátrico acompanhado de sintomas emocionais como medo de morrer, sensação de irrealidade, perda do controle das emoções e pensamentos. 

Em resumo, a Síndrome do Pânico é o sistema interno de alarme a perigo desregulado. O organismo dá um falso sinal de que existe um perigo muito grave e imediato. A Síndrome do Pânico tem tratamento e várias abordagens são bastante eficazes. Sem o tratamento adequado, dificilmente a Síndrome do Pânico evolui de maneira satisfatória e há poucas expectativas de cura espontânea. www.masci.com.br 

0 visualização
Logo.png