• Cyro Masci

Síndrome da Fadiga Crônica pode ser rebatizada para acelerar diagnóstico



Um comitê de especialistas convocados pela Academia Nacional de Medicina dos Estados Unidos propôs novos critérios diagnósticos e também um novo nome para a Síndrome da Fadiga Crônica para refletir melhor as principais características da enfermidade, facilitar o diagnóstico e aprimorar seu tratamento.

De acordo ainda com a comissão, estima-se que 84-91% das pessoas com o problema ainda não foram diagnosticadas, já que muitos prestadores de cuidados de saúde são céticos sobre o quão sério é o transtorno, confundindo muitas vezes como um problema de saúde mental ou sendo encarada com ceticismo quanto à sua veracidade.

Uma das causas que dificulta o diagnóstico é sua má divulgação. De fato, menos da metade dos livros de medicina e menos de um terço dos currículos escolares médicos contêm qualquer informação sobre a doença. Segundo a comissão, essa falta de conhecimento resulta em diagnósticos tardios e "gestão inadequada dos sintomas dos pacientes."

Diante desse quadro, a comissão sugere que a doença passe a ser chamada de Doença Sistêmica de Intolerância ao Esforço (Systemic Exertion Intolerance Disease – SEID) a esse transtorno que pode ter sido banalizado com o nome de Síndrome da Fadiga Crônica. O fato é que afeta milhões de pessoas no mundo todo, o número total é desconhecido, e tem consequências devastadoras. Pessoas com a doença enfrentam dificuldades com a realização de tarefas rotineiras, e pelo menos um quarto dos portadores ficaram limitados à sua casa ou cama devido aos efeitos de sua condição.

Para simplificar e facilitar o diagnóstico, a comissão propõe que o diagnóstico seja feito a partir dos principais sintomas da doença, que são:

  • Cansaço persistente que prejudica as funções do dia a dia;

  • Os sintomas pioram após esforço físico, mental ou emocional;

  • O sono é não reparador, a pessoa continua fatigada após dormir.

Além desses sintomas, os pacientes também devem apresentar ao menos um dos seguintes sintomas:

  • Comprometimento cognitivo (como memória ou capacidade de tomada de decisões) ou

  • O início dos sintomas aparece depois de levantar rapidamente (intolerância ortostática), por exemplo, após levantar rapidamente depois de pegar alguma coisa no chão, sair da cama ou mesmo levantar rapidamente de uma cadeira.

Várias doenças orgânicas podem causar fadiga e devem ser descartadas com exame minucioso, o importante é que, após serem eliminadas como causadoras do problema, não sejam rotuladas com “os exames estão normais”, encerrando o processo diagnóstico. É imprescindível que essa doença seja melhor diagnosticada, o primeiro passo para um tratamento eficaz.

Por Cyro Masci

#fadiga #cansaço #fadigacrônica #cyromasci

0 visualização
  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • YouTube Social  Icon
  • Twitter Social Icon

Informações de Contato

Rua Tabapuã 41 cj 88

Itaim Bibi

São Paulo - S.P.


(11) 5041-0996
(11) 97641-5065

contato@masci.com.br